Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Mundo novo’ Category

Catania e Sant’Agata

Hoje, 05 de fevereiro, é dia de Santa Agata, a padroeira de Catania.
O ritual tradicional, uma procissao que recorda a dor do martìrio sofrido pela santa, é um dos maiores em toda a Italia e foi declarado pela UNESCO, Patrimonio Antropologico da Humanidade.
O documentàrio http://vimeo.com/36189168  mostra o clima que toma conta da cidade por 3 dias consecutivos, todos os anos, sem exceçao, desde o ano de 252 d.C.
 
 
Anúncios

Read Full Post »

Abalo geral

Hoje a terra tremeu no norte da Italia.
O terremoto foi de magnitude 4.9
De onde estou, na ilha fora da bota, nao sentimos o tremor, mas o que me abalou hoje (me perdoem o trocadilho) foi ir ao supermercado e encontrar dezenas de prateleiras completamente vazias, nenhuma verdura, nenhuma fruta, quase nada de pao devido aos 10 dias de greve dos transportadores. Uma sensaçao que trouxe o medo de passar fome.
Pode ser exagero, mas nao consigo parar de pensar em como seria viver num paìs em guerra.

Read Full Post »

Incomplexidade

Uma pessoa imatura pensa que todas as suas escolhas geram ganhos.

Uma pessoa madura sabe que todas as escolhas tem perdas.

– Augusto Cury –

Com essa frase martelando na minha cabeça é que comecei essa semana. Ando meio azeda, talvez pela velha conhecida TPM que se reaproxima, mas enfim, mais reflexiva também.

O mundo novo, jà nao tao novo, começa a dar seus sinais de cansaço. A velha fòrmula de auto-motivaçao pra dar conta das obrigaçoes do dia-a-dia nao funciona tao bem aqui quanto no Brasil e me reinventar a esta altura da vida parece bem mais difìcil.

Falar voltou a ser uma canseira à parte. Voltei a ter que pensar muitas vezes antes de pronunciar o que quero. Tomo cuidado com as palavras, seja em italiano, ou em portugues, até porque acredito piamente que elas tem uma força descomunal sobre nòs, nossos desejos, realizaçoes e até sobre o universo que nos rodeia mas, pra mim, particularmente loquaz na minha lingua madre, é como voltar a ser criança ou adolescente… limitada, com um vocabulàrio muito restrito e aquém da minha identidade interior, sentindo-me incomprendida e frustrada por ter muito mais a expressar do que a capacidade de comunicaçao me permite.

Hoje, estou particularmente angustiada e me sinto incompleta como se nesse mundo nada se encaixe perfeitamente em mim, ou me pertença realmente. Tenho a sensaçao de que falta (e faltarà) sempre alguma coisa, nao importa quais sejam os meus esforços pra me adaptar, me integrar, me inserir… serei sempre uma estrangeira numa terra estranha.

Read Full Post »

Foto By Marido Ernesto

Recomeça…
Recomeça…
Se puderes,
Sem angústia e sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro,
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.
E, nunca saciado,
Vai colhendo
Ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar
E vendo,
Acordado,
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças.

– Miguel Torga –

Read Full Post »

O bicho pegou aqui pra quem nao tem identidade vàlida, ou visto de permanencia. Dizem que qualquer fronteira da Italia, seja terrestre, naval ou aérea està parecendo set de filme de segunda guerra mundial. Nao passa ninguém sem mostrar documento e levar pente-fino da polìcia.

Primeiro pensei que era mais uma do primeiro-ministro-fascista-racista-tarado… mas nao, a razao é o G8 que vai acontecer na cidade de Aquila onde teve o terremoto em abril, lembra?

Itália suspende tratado de Schengen antes da cimeira do G8

A Itália suspendeu, até dia 15 de Julho, o tratado de Schengen, que assegura a livre circulação de pessoas na União Europeia. Uma medida que faz parte da vasta operação de segurança que rodeia a cimeira do G8, de dia 8 a 10 de Julho, na cidade de Áquila, devastada pelo terremoto em Abril.

A verificação de documentos à entrada e saída do país foi restaurada à meia noite do dia 28/06, apanhando desprevenidos turistas e cidadãos italianos. O chefe do Serviço de Fronteiras no aeroporto de Fiumicino, em Roma, Giovanni Sigillino, afirma que nas primeiras horas do dia houve alguns problemas, houve pessoas que não tinham passaporte ou estavam na posse de documentos falsos.

Os sindicatos de polícia denunciam a grande confusão provocada pela medida. A primeira consequência foram as longas filas juntos os postos fronteiriços, como, por exemplo, em Farnetti, na passagem para a Eslovénia.

Alguns automobilistas esperaram horas para passar. Um deles afirmou, ironicamente, que parece que a cimeira tinha sido transferida para Lubljiana, pois não havia outra explicação para controlar documentos à saída de um país. Garante que os anarquistas não vão sair de Itália, pelo contrário, vão entrar.

Ao suspender o tratado de Schengen, Roma pretende evitar a chegada de manifestantes violentos para a cimeira dos líderes do G8. Já o tinha feito quando da reunião de 2001, em Génova, mas, na altura, apenas por uma semana e sem grandes resultados.

Fonte: euronews.net

Read Full Post »

Hoje, enquanto eu estava aqui me abanando, feliiiiiz, com o calor da primavera/verao que se instalou definitivamente do lado de cà do Equador, estava lembrando de uma definiçao matemàtica:

Duas grandezas são diretamente proporcionais quando, aumentando uma delas, a outra também aumenta na mesma proporção, ou, diminuindo uma delas, a outra também diminui na mesma proporção.

Ou seja, na mesma medida que a temperatura ao meu redor aumenta, cresce igualmente o bom humor e a felicidade dentro do meu ser.

Nada como aprender, assim, na pele. Literalmente.

Bendito seja o saudoso professor Amorim, que deve estar sorrindo, todo orgulhoso de sua aluna aplicada, esteja ele onde estiver.

Read Full Post »

Vira e mexe surge a curiosidade de como é a minha vida aqui no Mundo Novo e pra quem pergunta eu respondo: rotina normal de quem mora numa cidade pequena, fora da regiao dos grandes centros urbanos, num bairro tranquilo, numa casa com jardim, casada, sem filhos, estudando uma nova lingua, estudando culinaria, sem trabalho fixo. Simples assim. Mas, sei là porque parece que isso nao satisfaz, o povo quer saber detalhes emocionantes, como se pelo fato de morar na Itàlia (òòòò :-D) e na Europa (òòòòòòò… :-o)  as coisas necessariamente tenham que ter “glamur” … hehehehehe… Mas nao tem!!!  Ou melhor, até pode ter, depende de cada um, do que faz, o que estuda, no que trabalha, onde mora e com quem, né nao? 

Entao, tà, atendendo a pedidos:

A rotina da LuLu – uma dona de casa na Italia.  

Manha:

Acordo em torno de 7h nessa época de primavera/verao, mas como nao uso despertador pode variar em meia hora pra menos ou pra mais, dependendo do dia ou da hora em que fui dormir na noite anterior. Sò acordo muito mais cedo do que isso, tipo 4h, 5h da matina, quando me ataca a insonia. Muito mais tarde do que isso, sò se estiver doente, ou se estiver muuuito frio.

A primeira coisa que eu faço em absoluto é beber um copo dàgua. Isso é sagrado. Vou ao banheiro. Escovo os dentes, lavo o rosto, prendo o cabelo da frente ou todo num coque alto. Inverno ou verao nao importa, nao aguento cabelo caindo no rosto!

Vou pro escritorio/consultòrio do marido Ernesto e ligo o computador. Abro e respondo e-mails, leio o Reader, navego em alguns blogs, jornais e sites.

Abro as persianas e cortinas das janelas da sala pra entrar luz pras plantas de dentro de casa.  Idem na cozinha, sala de TV e lavanderia. Abro a porta do balcao da cozinha que dà pro jardim. Dou uma sacada no ar e uma geral nas plantinhas de dentro e do balcao, algumas eu rego, outras podo as folhas velhas ou arranco alguma erva daninha.

Preparo o café da manha pra mim, e pro marido Ernesto quando ele nao està de plantao. Se ele estiver em casa dorme até umas 9h e aì tomamos café juntos. Tem dia que é fruta picadinha com granola e Yogurt. Tem dia que é pao integral com queijo fresco. Eu sei, eu sei… eu exagero falando que nao como coisa light, mas faço esse sacrificio, sim, de veeeeeeeeizzzz em quando. No minimo uma vez por semana eu preparo um bolo, rosca, biscoitinhos caseiros, pao caseiro, muffins ou  qualquer coisa do genero pra deixar pronto pra semana toda. O marido Ernesto adoooora muffins com cappuccino gelado, eu adoro biscoitinhos molhados no leite com achocolatado (gelado no verao, pelando no inverno).

Na primavera/verao, em geral na parte da manha nos dedicamos à jardinagem. Quem tem jardim e horta em casa (e nao tem jardineiro) sabe: tem sempre alguma coisa pra fazer. SEMPRE. Entao é podar, adubar, regar, plantar, mexer na terra, limpar, endireitar, arrancar, dedetizar…

Numa manha qualquer também podemos ir ao supermercado, shopping ou a alguma feirinha de bairro pra comprarmos verduras, frutas ou o que estiver faltando. Aos sàbados tem uma feirinha a dois passos daqui de casa e eu deixo o marido dormindo e vou sozinha sapear por là. Pesquiso, pechincho, fotografo… Amo!

Se estivermos em dia com os deveres de casa  e nao tiver por exemplo nada pra costurar, consertar ou lavar podemos também sair pra passear, aì vamos pra algum parque, praça, castelo, cidade històrica ou praia pra curtir, caminhar de maos dadas, tomar sorvete (jà te disse que o sorvete da Sicilia é o melhor da Italia e um dos melhores do mundo? Poisé)… ou fotografar.

De quinze em quinze dias vem uma senhora dar faxina mais pesada na casa  e vira um mutirao pra terminar tudo das 8h até as 13h. Barba, cabelo e bigode.

A manha termina com o almoço, mas nunca antes de 13h.  Gosto muito de cozinhar e experimentar receitas novas e em geral prefiro almoçar bem, tranquila e em casa. Claro que rolam eventualmente almoços em restaurantes, almoços na casa dos sogros, almoços em self-service, lanches em pé numa pracinha, piqueniques em parques, salgadinho de padaria e até McDonalds.

Tarde:

Depois do almoço o marido Ernesto dorme. Sem exceçao. Eu posso até tirar um cochilinho de meia hora em um dia preguiçoso, mas nao gosto de dormir de tarde e em geral venho pro computador. E’ a hora em que a casa fica silenciosa e eu me sinto à vontade pra pesquisar, descarregar e trabalhar fotos, escrever no blog e colocar as idéias do dia em ordem. Essa é a também a hora de estudar, o que quer que seja, a liçao de italiano, de jardinagem ou de culinària.  Se encontro algum amigo ou alguém da familia essa é a hora do chat também. Pra tudo isso dedico no minimo tres horas.

Nao costumo ficar sentada na frente do computador quieta o tempo todo. No meio de algum download aproveito e coloco alguma roupa na maquina pra lavar, ou estendo alguma que jà secou, e ainda leio revista, costuro, desenho e assisto TV ao mesmo tempo. Sempre fui assim… multiatarefada.

Minha rotina varia com a do marido Ernesto, claro. Como jà mencionei, se ele tem plantao (10h, 12h ou 24h), por exemplo, eu me adapto pra ter sua companhia por um tempinho a mais, ou preparo a “marmita” que ele leva pro trabalho ou saio do computador pra ele receber os pacientes no consultòrio. As vezes ele precisa dormir um dia inteiro seguido depois de 24 horas de plantao, e eu procuro respeitar a necessidade dele e saio. Saio pra uma caminhada, dou uma volta no bairro, ou vou ao salao, ou vou ao mercado, ou fico jardinando, costurando ou lendo em silencio pra nao acordà-lo.

Fim de tarde tem a ducha refrescante depois de um dia cheio,  e tem o momento beleza: manicure, sombrancelhas, pele, cabelos, creminhos e o que mais houver… me dedico sò a mim… porque ninguem é de ferro, nao?

Noite:

Uma vez por semana tem as aulas de culinària a partir de 19h e nao tem hora fixa pra terminar, nunca antes de 23h. O jantar é incluso, entao o marido Ernesto se ajeita em casa, esquenta alguma coisa que eu jà deixei pronto, pede uma pizza ou aproveita pra ir jantar na casa dos meus sogros. Se o marido estiver livre ele me leva e me busca, às vezes vou e volto dirigindo e até prefiro. Gosto de ficar fofocando com os colegas depois da aula.

Quando nao tem aula vamos ao cinema, vamos tomar sorvete em alguma praça, ou jantamos fora, ou jantamos na casa dos sogros, ou vemos um DVD em casa até o sono chegar, ou eu fico sozinha em casa e, nesse caso, venho pro computador fofocar no messenger.

Meu fim de noite é, via de regra, assistindo TV. Eu sou viciada em dormir assim desde mocinha.  O marido jà prefere ler pra provocar o sono. Fecho a casa inteira. Baixo todas as persianas. Apago todas as luzes, menos uma luzinha guia que deixamos acesa. Coloco um copo d’àgua na beira da cama e fico zapeando os canais de televisao, deitada até o sono chegar. Quando vem o sono, coloco o timer sleep para quinze minutinhos, coloco uma mascara de tapa-olhos (daquelas de aviao, igual ao gato do cartoon, o Manda-chuva), coloco o aparelho dos dentes, viro de lado e… beijo,ciao. Adormeço rapididinho.

E…. Buona notte.

Read Full Post »

Older Posts »