Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 9 de junho de 2009

E quero me dedicar a criar confusões de prosódia

E uma profusão de paródias

Que encurtem dores

 

– Caetano Veloso – Lingua –

 

Quando eu começo a reler os posts que escrevo imagino que jà deu pra perceber que com pouco mais de um ano de Italia estou desaprendendo o portugues, nè? Sem contar a confusao que deve fazer na cabeça de quem le, as palavras  escritas erradas devido às minhas adaptaçoes malucas de crases e agudos por causa desse teclado sem alguns acentos. No meio do caminho (tinha uma pedra) ainda veio uma reforma ortografica pra bagunçar mais esse bordel o que (juro!) me dà a certeza de que eu nao sei, mesmo, mais como se escreve. 

Entao, como uma reforma sò nao faz verao, a Gi, uma amiga querida (e expatriada, assim como eu, que entende perfeitamente a confusao toda) me manda essa pérola que ela achou na net. Hehehehehe… 🙂

 Após o Acordo Ortográfico, entra em vigor agora o Acordo Aritmético


O Presidente da Comissão: “Quando Roberto Carlos cantava ‘Como Dois e Dois São Cinco’, já se mostrava um artista com visão ímpar… Que, com a Reforma, passará a visão par.”

A CPUM – Comissão de Países Utilizadores da Matemática, que exclui os Estados Unidos (vender subprimes com aqueles juros revela total desconhecimento de ciências exatas) e várias nações da África Meridional (cujos índices de inflação já superaram o âmbito matemático e adentraram o metafísico), aprovou o acordo para a Reforma Aritmética, que entrará em vigor daqui a um mês. Ou não; vai depender se o mês continuará com quatro semanas.

A seguir, os dispositivos mais importantes do acordo:

2 vira 3 e 3 vira 4 – o que solucionará enigmas até então insolúveis no campo da música e da literatura, como O Trio Elétrico de Dodô e Osmar e Os Três Mosqueteiros: Porthos, Athos, Aramis e D’Artagnan.

Cai o sinal de – desta forma, o que até então era um número “menor” passará a ser considerado “número valorativamente prejudicado”. O mesmo para o termo MMC, que passa a ser designado como “Múltiplo Comum Desprovido Quantitativamente”.

Os Noves Fora passarão a ficar dentro – fazendo valer o preceito da “inclusão dos dígitos”, tão caro à Nova Ordem Mundial.

Cai a expressão Zero à Esquerda
– uma vez que, com o redimensionamento global do confronto das ideologias sócio-econômicas, “esquerda” e “direita” são termos que há muito perderam o sentido. Ainda não se decidiu se “Zero Favorável à Presença do Estado na Economia” será aceito.

O sinal de menos passa a aparecer menos – já que este era uma outra aplicação do hífen, praticamente extinto pelo Acordo Ortográfico, o sinal passa a aparecer também só em casos especiais, como no quadro demonstrativo das ações da Bovespa.

O X deixa de ser o xis da questão
– para evitar o acúmulo de empregos, num exemplo de austeridade no trato da coisa pública, o X deixará de aparecer como incógnita em equações e se restringirá à condição de sinal de multiplicação. Qual letra o substituirá no outro emprego ainda é uma incógnita.

Os algarismos arábicos reconhecerão a existência de Israel – assim como os algarismos romanos passarão a aceitar o aborto e o casamento de números primos.

A Dízima Periódica passará a ter só duas casas – assim como Michael Jackson e Madonna, a pop star da matemática deverá se desfazer da maior parte de suas residências em função da crise mundial. E, fundamentalmente, do imposto de renda.

E mais:

Para 2014, estão previstas a Reforma Geográfica, para sumir com o Paraguai do mapa, e a Reforma Pornográfica, onde as revistas passarão a exibir o pôster central na capa e a entrevista no pôster central.

Aguarde.

 

Postado por Nelson Moraes no blog Ao Mirante, Nelson

Read Full Post »