Feeds:
Posts
Comentários

Archive for abril \30\+01:00 2009

Marido Ernesto e eu curtimos uma telona toda semana. Ambos somos cinéfilos o que, num certo sentido, quer dizer que vemos todo tipo de filme pra ter o que falar, nem que seja falar mal. E, claro, acontece de ver alguma porcaria decepcionante que nao vale nem o preço do ingresso (que aliàs é em euro!), mas a produçao européia em geral é riquissima e eu to adorando sair do circuito padraozao comercial americano de enlatados. Bom, apesar de certa prevençao contra filmes “comerciais” e contrariando estatisticas que dizem que se repete muito mais vezes, para muito mais pessoas aquilo  que nao se gosta, eu falo MUITO do que eu gosto e eu simplesmente ADOREI o filme Mostri Contro Alieni  (em portugues: Monstros X Alienigenas) da Dreamworks.

 

mva_skin-01

O desenho é pra adulto e é deliciosamente sarcastico. Os personagens sao meio clichezados num certo tipo de “liga da justiça” com representantes padrao do tipo “o cerebro”, “a força”, “a versatilidade” e “a ingenuidade”… mas funciona. Funciona tanto que eu, virginiana-critica-chata-dificil-de-se-convencer dei boas e gostosas risadas como hà muito tempo nao fazia e fiquei completamente presa na trama até o fim que, felizmente, nao é tao obvio assim, apesar do bem vencer o mal, lògico.

O grande problema do filme, pra mim, é também a sua maior qualidade: os efeitos 3D sao tao geniais e bem feitos que a gente sai do cinema querendo assistir tudo assim de agora em diante. Parece que nao vai ter mais graça ver filme “somente” em duas dimensoes.

Entao, o filme é pra ser visto em tela grande, nao espere sair em DVD senao voce vai se arrepender. Eu recomendo.

Read Full Post »

Marcelino Pao e Vinho – Espanha, Itália, 1955

(Marcelino pan y vino / Marcellino pane e vino / The Miracle of Marcelino)Dal romanzo di José María Sanchez Silva

MarcelinoMarcelino é um orfao abandonado, ainda recem nascido, na porta de um mosteiro e criado por 12 frades franciscanos. Certo dia, quando tinha cinco anos, ele descobre uma imagem de madeira de Jesus crucificado no sotao do mosteiro e oferece ao homem da imagem um pedaço de pao e um pouco de vinho que aceita a oferta e passa a conversar com o menino. É o início de uma grande amizade cheia de dramas e o filme arranca làgrimas até o fim. No final, assim como eu, a maioria das pessoas sai muito emocionada do cinema, seduzida  pelos cliches melodramáticos da história concebida pelo escritor espanhol José María Sánchez Silva.

O filme espanhol foi lançado simultaneamente na Italia e obteve grande sucesso por aqui, onde foi amplamente divulgado, distribuido e teve ainda uma nova versao dirigida por Luigi Comencini em 1991. A ediçao que assiti no Cine Brasilia  era a original de Ladislao Vajda dublada em italiano, com musica tema cantada também em italiano por Gigliola Cinquetti  e ficou impressa assim em mim, tanto que, por muitos anos, achei que o filme fosse italiano. O menininho Pablito Calvo (que tinha apenas 5 anos quando encarnou o personagem-título) foi premiado em Cannes, no ano do lançamento do filme e o filme também muito aplaudido no Festival de Cannes, onde recebeu uma Mençao Honrosa, foi ainda  vencedor  do Urso de Prata no Festival de Berlim.

 Apesar de ter sido rodado em 1955, Marcelino Pao e Vinho voltou a estar em cartaz nos cinemas brasileiros entre o final dos anos sessenta e começo dos anos setenta, sendo um grande sucesso de bilheteria. Minha mae propos que eu assitisse com ela, sem minhas irmas que eram muito pequenas, o que seria o meu primeiro filme “adulto”. Eu me lembro que nem eu tinha a idade indicada pelo orgao de censura da época. Censura era coisa séria, sabe? Eu devia ter uns 10 anos e a censura exigia idade minima de 12 anos. Minha mae, que jà tinha visto o filme, achou que nao tinha nada demais que eu era madura o suficiente mas, sò pra garantir, fui assistir ao filme com um sapatinho de salto anabella, pra ficar mais alta do que eu ja era, vestida  com um conjunto (de minha mae) de lan, saia e blusa, com os cabelos penteados  num coque e de batom pra eu parecer mais velha. A emoçao do filme começou jà ali. Além da historia que se passava na tela, a travessura, aquela pequena transgressao, a deliciosa cumplicidade e emoçao divididas com minha mae é que fizeram dele o filme da minha vida.

 

cinema1Este post faz parte da blogagem coletiva O Filme da Minha Vida  proposto pelo blog Fio de Ariadne, da mesma Vanessa querida que criou a blogagem sobre O Livro da Minha Vida que eu também participei.

Se voce quiser viajar pelo maravilhoso mundo do cinema, clique no selo ao lado e veja todo tipo de emoçao que a pelicola nos traz contada por pessoas muito especiais.

Read Full Post »

A-patia

Hoje acordei assim, assim. Com vontade de fazer nada, com vontade de ver nada, nem comer nada, nem sair da cama, nem saber do que se passa là fora. A palavra que uma amiga usa pra definir o estado é perfeita: xebrebréu.

Là fora o tempo està horrivel, nublado e frio. Estamos numa recaìda de inverno que acontece todo ano, mais ou menos na mesma época, e é chata que sò. Sei que essa primavera que nao engrena é que me deprime. Nao vejo a hora de um solzinho e um calorzinho pra eu me sentir melhor, viu?

Tem muita gente que é assim: muda o tempo e começa a sentir mal estar fisico, principalmente dores de cabeça, e também angustia e depressao. O estudo é recente e dizem que na Italia a cada tres pessoas uma sofre desse mal. Jà tinha lido alguma coisa sobre o assunto numa revista Air One (uma especie de Super Interessante da qui da Italia). Tem gente famosa que tinha isso e nunca foi oficialmente diagnosticado e Michelangelo era um, se nao me engano. Chamam de meteoropatia.

Read Full Post »

Essa é boa…

 Quando eu era pequena minha mae nao deixava mascar chiclete.

Agora… olha sò:

Mascar chiclete sem açúcar ajuda na redução de peso, diz estudo

 

Fonte: Folha Online

Cientistas do Centro de Pesquisas Biomédicas Pennington, em Lousiana (EUA) descobriram que pessoas que mascam chicletes sem açúcar regularmente consomem menos guloseimas, portanto, têm uma ingestão menor de calorias. O estudo foi apresentado para o meio científico na semana passada, em um encontro de biologia experimental que ocorreu em Nova Orleans.

O trabalho, conduzido pela cientista Paula J. Geiselman, chefe do departamento de Saúde da Mulher e Comportamento Alimentar de Pennington, é parte do programa científico da Sociedade Americana de Nutrição.

Outros estudos, feitos anteriormente, já mostravam que o consumo de gomas de mascar sem açúcar está diretamente associado a uma diminuição no consumo de guloseimas. O que diferencia este estudo das pesquisas prévias é a análise do teor nutricional dos alimentos escolhidos pelos voluntários após mascarem chicletes sem açúcar.

O estudo envolveu 115 voluntários com idade entre 18 e 54 anos. Os voluntários faziam duas visitas por dia ao laboratório: uma para testar seu apetite ao mascarem chiclete, e outra, para quando não tinham consumido o produto. No início de cada visita, eles faziam um lanche cujo teor nutricional era equivalente a um quarto da ingestão de calorias necessárias para um dia. Depois, permaneciam por cerca de três horas no laboratório.

Em uma das visitas que faziam, os visitantes, após lanchar, tinham que mascar chiclete sem açúcar por 15 minutos a cada hora. Na segunda visita, não consumiam gomas de mascar após o lanche. Após três horas da última refeição, os cientistas ofereciam alimentos variados, entre eles guloseimas com altos teores de açúcares e compostas por carboidratos complexos (presente em alimentos como pães, massas, entre outros), e alimentos com altos e baixos níveis de gordura. Os voluntários podiam comer o quanto queriam dos alimentos que escolhessem.

Após os testes, os voluntários preencheram questionários que avaliaram sua autopercepção em relação à sensação de fome, ao desejo de consumir guloseimas, bem como o nível de energia física.

Os resultados demonstraram que, nos testes que incluíram o consumo das gomas sem açúcar, os voluntários reportaram um diminuição com relação à sensação de fome e desejo por doces. Também disseram sentir que seu nível de energia se manteve o mesmo durante a tarde, e ficaram menos sonolentos.

De acordo com Paula, “em geral, a pesquisa demonstra o potencial dos chicletes sem açúcar como uma ferramenta para controle do apetite, redução da ingestão de guloseimas entre as refeições, e controle do peso”.

Read Full Post »

Vai!

Estreito de Messina - By LuLu na Italia ©

Estreito de Messina - By LuLu na Italia ©

Vá o mais longe que você puder ver.

Quando você chegar lá, vai poder ver mais longe ainda.

(autor desconhecido)

Read Full Post »

Participo do mundo virtual com publicaçoes desde nem-sei-mais-quando.  Comecei là pelo ano 2000 acho, quando iniciei a fazer fotos digitais pra valer e a publica-las no MSN com alguns comentarios simples e, naquela época, jà com uns poucos feed backs que recebia, achava o maximo a exposiçao que aquilo tinha. 

Em maio de 2005 comecei a escrever (e ainda escrevo) o meu primeiro blog o CaFôFo da LuLu quase como uma terapia, pra dar voz as vàrias pessoas que habitam dentro de mim. Uma especie de catarse pessoal, no sentido de purgaçao. Tem até uma aba de menu là em cima do blog (memorias) onde eu cato e re-publico umas palavras antigas que ainda insistem em falar. Naquela época o UOL era uma das melhores opçoes pra hospedar minhas idéias, e assim continuou por mais de 3 anos, mas depois comecei a acha-lo limitado, pesado até que, com a mudança pra Italia, decidi começar um outro blog num outro host, mas ainda amador. Testei, entao o Blogspot… Comecei a escrever receitas praticas do dia-a-dia num blog criado por uma amiga, o Dez Minutos, e Pronto! Uma experiencia que continua e é otima. Acabei trazendo para uma aba do menu là em cima (receitas)  algumas  delicias de là… Testei, por fim o WordPress, gostei muito mais e decidi criar um novo espaço pessoal aqui. Assim nasceu O Admirável Mundo Novo da LuLu. O porque do nome? Isso eu conto qualquer dia num outro post.

Entao, esse negocio de blogar até hoje sò me deu prazer, viu?  O que me dà mais prazer nisso tudo é a publicidade da coisa. Esse meu lado aparecido-de-ser se sente bem em ver e ser visto. No começo pesou muito a responsabilidade  em clicar na palavra “publicar” depois de escrever um texto. Nao demorou a cair a ficha da importancia de tornar as minhas idéias maluquinhas que até entao chegavam somente até um grupo seleto de amigos, de uma hora pra  outra  acessiveis a pessoas que nao conheço. Naturalmente reforçei o cuidado com as palavras e ao mesmo tempo o contrastante desafio de manter-me integra, inteira e verdadeira. Me sinto “eu” mas ao mesmo tempo uma personagem. E’ um fenomeno interessante e ainda penso em fazer uma tese de mestrado sobre isso.

Junto com o prazer o dever, assim eu aprendi. Ou era o dever primeiro e o prazer depois. E com o dever, as regras. Leis e regras existem para o bem comum e precisam ser respeitadas. Educaçao, honestidade e lisura sao tao importantes quanto o conteùdo ( às vezes até mais). Noçoes de espaço e forma criam harmonia. Limites sò sao limites se sao bem estabelecidos… A casa aqui é minha, verdade. O mundo aqui é meu, tà certo. E a vizinhança é de todos nòs. Ponto final. Bàsico. Faço o que eu quiser no meu mundinho e nao incomodo ninguem, assim como nao gosto de ser incomodada. Uma coisa muito importante: eu nao roubo. Se tomo emprestado peço antes ou aviso que tomei. Creditos sao pra serem creditados, senao seriam débitos.. e eu exijo os meus… por vaidade, picuinha…? Pode até ser, mas prefiro assim: Gostou? Pede que eu empresto. Juro… na boua.. empresto e fico feliz em compartilhar, mas se nao pedir… Ai,ai,ai…   pode até pegar uma vez sem eu ver, mas vai ser sò uma e a briga vai ser feia. Isso eu garanto. Pergunta pras minhas irmas. Brava a menina!! Ui!!

Cada um dos meus blogs pessoais referem-se a mesma LuLu, mas sao bem diferentes. O CaFôFo é fofo, é cantinho magico, é café-com-leite, é adolescente, é poético, é inconstante, é instàvel e é essencialmente um monòlogo. O Mundo Novo  jà comecou com uma proposta diferente do CaFôFo. O Mundo Novo é quase um diàrio da LuLu, é auto-biografico, é adulto, é livrinho de cabeceira, é bula de remedio, é bolsa de àgua quente, é ombro amigo, é pedido de socorro, é mural de avisos, é caderno de anotaçoes, é album de retratos… e é no mìnimo diàlogo ou quem sabe, roda de bate-papo.

Depois de escrever blogs e soltar as doidices pelo mundao afora, e sem freio, o que eu mais gosto é de receber comentario. Pode ser aqui mesmo ou por e-mail, ou ainda via messenger, mas é sempre um imenso prazer trocar idéias. Lugar comum de todo blogueiro, eu sei. Nao ligo de nao ser original. Eu gosto mesmo é de gente e de me comunicar e deve ser por isso que eu gosto tanto de falar e de escrever. Algumas novidades vieram com o Mundo Novo como a tal “Blogagem Coletiva”, os “Memes” e os “Selos”. Nunca tinha participado de nada desse tipo na época do CaFôFo. E com essas atividades de rede da blogosfera veio gente nova visitar o meu humilde mundinho e eu fiquei feliz à beça! Que sensaçao estranha e ao mesmo tempo otima de conhecer gente nova virtualmente! Nunca tive (nem tenho) pretensoes de ter um Mundo superpovoado (é assim sem hifen?) por isso nao faço publicidade, sò participo do que me dà vontade, se o tema coletivo for sobre algo que eu realmente goste de falar (da minha pessoa e do meu mundo, basicamente) e sò participo de jogos, correntes, memes e selos se tiver alguma coisa que me acrescente. 

Aliàs, paragrafo especial sò pra falar sobre os SELOS… Com todo o cuidado e respeito aos queridos que pensaram em mim e aos selos que me foram dedicados: Alguém mais além de mim acha que a coisa jà ta  perdendo  a graça, o rumo, o jeito e o sentido verdadeiro? Serà que sou sò eu que vejo banalizaçao em mandar o mesmo selo pra todo mundo e repetir duzentas-e-cinquenta-e-dez vezes a mesma coisa? Nao tà parecendo mais aquelas correntes chatééééérrrimas que existem desde a época das cartas de papel que chegavam na nossa casa ameaçando: se voce nao passar pra mais oitocentas pessoas a casa vai cair… seu emprego vai cair, seus cabelos vao cair, seus peitos vao cair, o seu nariz vai cair…? Tirando a parte da ameaça.. Nao tà nao? Olha, pra deixar bem explicado: eu reconheço todo o carinho implicito (e explicito) nos selos que eu recebi, viu? Reconheço, agradeço e nem sei se mereço.. sò pra rimar. O que eu questiono é a quantidade de selinhos que surgiu de uma hora pra outra na blogosfera e a quantidade de pessoas para as quais “temos” obrigatoriamente que repassar os benditos selos. Eu nao faço essas coisas por obrigaçao de fazer. Se é obrigaçao acaba por perder o sentido de mérito, nao acha? Sei là, eu comecei a achar chato, sabe?

Pra encerrar (finalmente affff!.. esse post tà parecendo a Carta de Pero Vaz de Caminha de tao longa!) eu quero agradecer às pessoas que me acompanham nessa aventura blogosférica (existe isso?)desde sempre. Quero agradecer também aos que me seguiram nessa nova fase da nova vida que iniciei na Italia, aos queridos e queridas que me visitaram desde a minha ultima blogagem coletiva e deixaram recadinho e aos que vem chegando de mansinho sem dizer nada. Quero especialmente saudar esses novos amigos e dizer: Sejam bemvindos ao meu Mundo Novo.

Beijo.Ciao.

LuLu.

LuLu_2009_04_04_messina-172b

Read Full Post »

Pietà

No ultimo dia 21 de abril Brasilia completou 49 anos…

… e Roma completou 2.762 anos.

Ambas nasceram no mesmo dia. Sò agora eu entendi o porque do presente que o governo italiano deu a minha cidade: a còpia da estàtua de Romulo e Remo sendo amamentados por uma loba, simbolo da fundaçao de Roma,  que fica na frente do Palacio do Buriti. 

Sao muitos laços que unem as duas grandes cidades.

Pra iniciar o post, a foto da Pietà de Michelangelo tirada por mim, no Vaticano.

Pra encerrar, a foto da Pietà de Michelangelo, em Brasilia, a còpia que fica na Catedral. Credito da foto de Brasilia: Francisco Aragao

pieta_brasilia

Read Full Post »

dali_mundo

O nascimento do mundo - Salvador Dali - 1943

Hoje, o Dia da Terra é comemorado por milhares de organizaçoes, em centenas de países, com o objetivo de conscientizar as comunidades sobre a importancia da preservação do Planeta Terra. A data foi criada nos Estados Unidos em 1970, com o primeiro protesto contra a poluiçao, convocado pelo Senador norte-americano Gaylord Nelson, e passou a ser comemorada por outros países à partir dos anos 90.

Como abertura escolhi esse impressionante quadro do mestre Dali para ilustrar a mensagem mais importante do dia de hoje: a Terra somos nòs. Nao é à toa que muitas religioes e filosofias associam o nascimento do homem ao barro, ao pò e à terra. Nao é à toa que nosso corpo, carbono que é, retorna à terra. Nao devemos nos destacar do planeta e ve-lo como uma parte de fora de nòs mesmos, pois a nossa consciencia é também a consciencia da Terra.  Planeta,  terra, plantas, animais, seres humanos… somos interligados, interdependentes e intimamente relacionados.

Bom, na pratica o que eu acredito é que devemos cuidar de nòs, do nosso pequeno universo, aquele que està ao nosso alcance no dia-a-dia, e ao fazermos isso, o bem estar se reverte para o universo. Pequenas atitudes conscientes como beber 1,5 litro d’àgua todos os dias, comer frutas e verduras regularmente, consumir produtos de estaçao, aproveitar cascas e sementes, caminhar, sorrir, ler, economizar papel, meditar, fechar a torneira quando escovamos os dentes, nao tomar banhos demorados, reciclar embalagens, usar eletrodomesticos que economizem energia elétrica, nos mantermos alertas… E por aì vai.

Na progranaçao do Dia da Terra 2009 o National Geografic Channel tem uma série chamada Voce Quer Mudar o Mundo? Comece Pelo Seu (clique aqui para ver)  que dà dicas de cuidados com o ambiente, educaçao ecologica, reciclagem, economia de àgua, papel, combustiveis e energia mostrando numeros que mostram, por exemplo, que a economia de UM MINUTO de chuveiro se reverte em SETE MESES de àgua para uma pessoa do planeta. Todas as informaçoes sobre o que é possivel se fazer por nòs e pelo Planeta estao relacionadas na série: Voce Sabia? (clique aqui para ver). E’ a isso que me refiro quando digo que o que fazemos em nosso pequeno mundinho se reflete no universo inteiro. Se voce souber de mais açoes assim, conta aqui pra mim.

Vivo dizendo isso, porque acredito piamente: somos um

Para encerrar deixo aqui um video-mensagem… Trata-se do clipe da musica “Moving” de uma banda espanhola chamada “Macaco” com a mensagem: “O que voce faz conta” que tem a participaçao de artistas como javier Bardem, Carlinhos Brown, Rosario Flores, Juan Luis Guerra….

 Para ver no Youtube clique aqui..

Read Full Post »

Voce sabia…?

Como surgiram os estados brasileiros?

por Danilo Cezar Cabral

TERRAS DE CAPITÃO
Trinta e quatro anos após o Descobrimento, o litoral brasileiro estava sendo saqueado a torto e a direito por piratas em busca de pedras preciosas e madeiras raras. Para manter o controle do território, a coroa portuguesa decidiu criar as capitanias hereditárias, 15 faixas de terra que se estendiam da costa até a linha imaginária do Tratado de Tordesilhas. Para tomar conta desses primeiros “estados” do país, foram nomeados capitães-donatários.

A CASA DAS SETE PROVINCIAS
Em 1709, os portugueses resolveram reorganizar a colônia em função dos benefícios específicos que cada região poderia trazer para a coroa. Nasceram, então, as sete províncias, imensas extensões de terra com fronteiras mais bem definidas. Além dos aspectos econômicos, a criação das províncias visava obter um controle ainda maior sobre o território, constantemente ameaçado pela ação de piratas e do “olho grande” espanhol

RASCUNHO IMPERIAL
Após a Independência, em 1822, o Brasil foi repartido em diversas novas províncias, “rascunhos” do que viriam a ser os futuros estados. O mapa atual do Nordeste, por exemplo, já está quase todo lá. No Sul, contávamos ainda com a província da Cisplatina, que pertenceu ao Brasil até 1829, quando um movimento separatista obrigou o país a reconhecer a independência da região, que deu origem ao Uruguai

ESTADOS DE SÍTIO
Rolaram grandes mudanças no mapa após a Proclamação da República, em 1889, como a própria adoção da palavra estado para nomear as porções do território. Em 1942, o Brasil entrou na Segunda Guerra e, como estratégia de defesa e administração das fronteiras, o governo desmembrou algumas áreas, criando novos territórios, como Amapá e Guaporé, no norte, e Iguaçu, no sul. Mais tarde, alguns desses territórios viraram estados, outros foram reintegrados à sua região de origem

DEPOIS DA PLÁSTICA
A partir de 1960, ano da inauguração de Brasília, rolaram as últimas mexidas que deixaram o Brasil com a cara que tem hoje, com seus 26 estados mais o Distrito Federal. Além da “promoção” de alguns territórios, como Acre e Rondônia, a estados, Fernando de Noronha voltou a fazer parte de Pernambuco, e nasceram Mato Grosso do Sul (desmembrado do Mato Grosso) e Tocantins (fatiado de Goiás). Porém, se depender das propostas que, nos últimos anos, chegaram ao Congresso, o vira-e-mexe do mapa brasileiro pode estar longe de acabar.

NAÇÃO DE RETALHOS
Nos últimos anos, chegaram várias propostas ao Congresso para a criação de novos estados e territórios no país, sendo que muitas ainda estão em curso.

Fonte: UOL – Mundo Estranho

Read Full Post »

Titia

 … No messenger… 

– Titia, eu jà sei escrever meu nome em letra cursiva, voce qué vê?

– Quero, sim Brunequinha-linda-da-titia-que-eu-amo-muito! 🙂

Ela pega um caderno e me mostra a folha em branco preocupada em me demonstrar que nao tem truque… 😉

– Olha, nao tem nada escrito, ta vendo? 

Ela pega a caneta e escreve… e me mostra.

Eu vibro.. dou xilique… falo que quero espremer… chamo ela de xiribilinha-tipi-tipi-moranguinho-gostosinha… essas coisas que ela adora.

Ela dà sò aquele sorrisinho de sapo, sem mostrar os dentes e continua:

– Titia, agora vou te mostrar que eu sei escrever “Ana”  também.. 

E de novo.. a folha em branco… e escreve.. e me mostra..

Eu faço a mesma firula… a maior festa…  dou gritinhos…aiiiii…  falo que quero morder a bochecha dela, que espremer é pouco….

Ela adora.. ri mostrando as covinhas… e aì me fala:

– Titia, agora voce vai desmaiar, porque eu sei escrever “Rossi” em letra cursiva!

Ela escreve.. e me mostra…

Eu faço mais firula ainda… aiiiiiiii…  finjo que vou desmaiar… que to com taquicardia…  me taco no chao… e eu tiro foto …

Ela adora… dà cada gargalhadinha gostosa…

Eu me derreto toda!

Ai… ai.. como a gente é besta, nè?

bruna_abril_2009-0051bruna_abril_2009-004b1bruna_abril_2009-0061

Read Full Post »

Despertai

lawrence3

Todos os homens sonham, mas não da mesma maneira. Existem aqueles que têm seus sonhos à noite, nos recônditos de suas mentes e, ao despertar, pela manhã, descobrem que tudo aquilo era bobagem. Perigosos são os homens que sonham de dia, porque são capazes de viver seus sonhos de olhos abertos, dispostos a torná-los realidade.
– Thomas Edward Lawrence –

Read Full Post »

Nada de imitar seja lá quem for. … Temos de ser nós mesmos … Ser núcleo de cometa, não cauda. Puxar fila, não seguir.

– Monteiro Lobato – Carta a Godofredo Rangel, SP, 15/11/1904

 

Assim como o menino José Bento Renato Monteiro Lobato eu também fui alfabetizada por minha mae, que nao é Olìmpia Augusta mas é Conceiçao Augusta – mais conhecida como Dona Conceiçona.  

cartilha_DAVIMinha mae, formada em pedagogia e administraçao ensinava a quem quisesse ler. Ensinou a mim e as minhas irmas, bem antes de entrarmos na escola, entre jogos e brincadeiras, gibis e lapis de cor, papeizinhos com letrinhas desenhadas a mao e uma cartilha de alfabetizaçao:  Davi, meu amiguinho.

Entao, aos 3 anos de idade eu jà sabia ler e escrever… e nao parei mais.

Li sempre muito e tudo. O tempo inteiro. Graças ao grande incentivo de minha mae, que me permitia ler historias em quadrinhos do seu grande acervo e coleçao pessoal que contem obras unicas como a revistinha numero UM de Monica e Cebolinha, de LuLuzinha, de Flash Gordon, de Mortadelo e Salaminho, além de obras completas de Mafalda, Calvin, Moebus… Me lembro que ela acreditava que uma criança, ao contrario do que se dizia, poderia adquirir ainda maior gosto pela leitura através dos gibis e nunca nos impediu de ler, fosse o que fosse. E de fato eu lia e continuo a ler de tudo um pouco, dos classicos aos cartoons de jornal. Desde que eu leia.

negrinhaMeu primeiro contato com o Senhor Monteiro Lobato foi através do Jeca Tatu, e até hoje, ao contrario dos mais amados e conhecidos personagens do Sitio, o matuto simplorio e inteligente é o meu preferido. Talvez porque o Jeca fosse o alter-ego do proprio autor, sei là. 

Da sua literatura mais adulta depois de Idéias de Jeca Tatu e Urupes – sempre em torno ao Jeca – as maiores emoçoes eu vivi ao ler Negrinha. Com seus contos de uma narrativa urbana incrivel, com dramas, romances e tragedias, tao fortes e cheios de verdades um outro Lobato se faz conhecer. Mais atormentado, mais carnal, um humor irreverente sempre presente. Eu recomendo.

Uma pequena curiosidade que me aproxima do mestre Lobato. Que ele foi escritor, enxadrista, industrial do petròleo, pintor, pai da Emilia – boneca mais ilustre do Brasil, quase todo mundo sabe, mas o que poucos sabem é que uma de suas maiores paixoes foi a fotografia. Poisé e dizem que era dos bons. Registrava instantaneos da família com uma camera Kodak que ganhou de presente. Depois, com uma Rolleyflex a tiracolo, passava horas seguidas capturando trechos de paisagens e momentos do quotidiano.  Assim como eu, Lobato gostava de se expressar e de registrar os flagrantes da emoçao e da vida e por isso nao desgrudava da sua màquina. 🙂

Parece estranho falar nisso justo aqui, no meio do tema sobre os livros, mas é que eu realmente acredito que nada é por acaso e que de verdade a mensagem que quero passar é essa: a expressao da vida começa na leitura e termina sabe-se là onde, no infinito do universo.

 

 

lobato1Esse post faz parte da blogagem coletiva Quem Foi Seu Monteiro Lobato? Criado pelo blog da Vanessa – Fio de Ariadne. Se voce quiser conhecer mais pessoas que participaram e mais historias interessantes clique no selo e viaje nesse mundo maravilhoso da leitura.

E viva o Dia Nacional do Livro Infantil! 

E viva MONTEIRO LOBATO!!

VIVA!!

Read Full Post »

Primavera

2009_04_04_roxinhas2009_04_04_messina7b2009_04_08_Flores_04Mimosas-063b2009_04_08-Flores0022009_04_08-gato0082009_04_08-gato007

Read Full Post »

Eostre

eostreEostre era a Grande Deusa Mãe anglo-saxônica, nordica e germanica da Alvorada, da Luz Crescente da Primavera e o Renascimento da Vegetação. Era conhecida pelos nomes: Ostare, Ostara, Ostern, Eostra, Eostur, Austron e Aysos.

sgbrooks_eostreSegundo a Lenda, Eostre encontrou um pássaro ferido na neve. Para ajudar o animalzinho transformou-o em uma lebre, mas a transformação não processou-se completamente e o coelho permaneceu com a habilidade de colocar ovos. Como agradecimento por ter salvo sua vida, a lebre decorou os ovos e levou-os como presente para a Deusa Eostre. A Deusa maravilhou-se com a criatividade do presente e, quis então, compartilhar sua alegria com todas as crianças do mundo. Criou-se assim, a tradição de se ofertar ovos decorados na Páscoa, costume vigente em nossos dias atuais.
Os ovos são símbolos de fertilidade e vida. Uma tradição antiga dizia que se deveria pintar os ovos com símbolos equivalentes aos nossos desejos. Mas, sempre um dos ovos deveria ser enterrado, como presente para a Mãe Terra.

Entao, a lebre (e NÃO um coelho) era seu símbolo. Suas sacerdotisas eram capazes de prever o futuro observando as entranhas de uma lebre sacrificada (claro que a versão “coelhinho da páscoa, que trazes pra mim?” é bem mais comercialmente interessante do que “Lebre de Eostre, o que suas entranhas trazem de sorte para mim?”, que é a versão original desta rima.
rabbitA lebre de Eostre pode ser vista na Lua cheia (vide desenho ao lado) e, portanto, era naturalmente associada à Lua e às deusas lunares da fertilidade.
eostre2De seus cultos pagãos originou-se a Páscoa (Easter, em inglês e Ostern em alemão), que foi absorvida e misturada pelas comemorações judaico-cristãs. Os antigos povos nórdicos comemoravam o festival de Eostre no dia 30 de Março. Eostre ou Ostera (no alemão mais antigo) significa “a Deusa da Aurora” (ou novamente, o planeta Vênus). É uma Deusa anglo-saxã, teutônica, da Primavera, da Ressurreição e do Renascimento. Ela deu nome ao Sabbat Pagão, que celebra o renascimento chamado de Ostara.

Fonte: mulhercriativa.com.br

Fonte: ROSA VOLPATO

Ajudou a esclarecer um pouquinho a confusao que fazemos pra entender o que é que Jesus, coelho, e ovo tem haver com essa época, nè?

Adoro estudar essas grandes deusas da humanidade.

Read Full Post »

Na Sicilia, onde eu moro, cada festa importante tem alguma correspondencia  culinària. Nao acho que seja à toa a fama de “bons garfos” dos italianos, em geral. Na verdade, seja Natal, dia dos pais, ou cada uma das milhares de festas religiosas (levadas, em geral, muito a sério) em quase toda regiao da  Italia  existe  algum prato representativo, tradicional, com razoes historicas e repetido desde os tempos do onça.

Ovelha de pasta de amendoaEntao, na grande ilha, tem  uma  pitoresca tradiçao pascal de nos deliciarmos, depois de um rico almoço festivo, elaboradissimos doces que além de deliciosos, ficam lindos de se ver nas vitrines das docerias e confeitarias em toda a cidade. Um tipo muito  caracteristico se chama  “picureddi di pasta reale“.  Sao ovelhas moldadas com “pasta reale” (a famosa pasta de amendoa – produto tipico da Sicilia), que representam o cordeiro do sacrificio de tradiçao religiosa e paga muito antiga, e se diferenciam na forma, complementos e na decoraçao de acordo com a àrea de origem. As mais comuns estao deitadas sobre um prado verde, dentro de um recinto cercado, decorado de confetinhos multicoloridos e possuem uma bandeirinha no lombo. A que eu ganhei da minha sogra no ano passado é assim.

Ovo pintado à maoO ovo é simbolo de vida e de ressureiçao. E’ do ovulo feminino que se origina a vida, assim como sao ovais as glandulas sexuais masculinas; e é também do ovo que se gera a vida dos oviparos. Jesus Cristo, com a ressureiçao, transformou a sua morte em uma nova vida e muitas vezes o nascer é representado com um pintinho saindo do ovo. O ovo figura também em muitas e variadas delicias tradicionais da Pascoa e sempre foi seu maior simbolo porque representava o renascimento da natureza nas tradiçoes pagas, coincidindo com a chegada da primavera. Esse da foto foi pintado por mim e presenteado aos meus sogros.

biscoitos_de_pascoa_2009Outro famoso doce siciliano é conhecido em Palermo, a capital da Sicilia como: “pupo cu’ l’ova“, ou como sao conhecidos na cidade que moro – Catania – “aceddo cu’l’ova“, em dialeto siciliano que quer dizer ave com ovo, recordam exatamente essa tradiçao e sao de uma época em que nem se imaginavam os ovos de chocolate de hoje em dia. Estes, sao paezinhos ou biscoitos pascais, muito difundidos em toda a Sicilia, assumindo varios nomes de acordo com a tradiçao local, moldados nas mais varias formas, antropomorfas, zoomorfas, mas sempre com um ovo cozido, inteiro, às vezes com casca e tudo, que é inserido na pasta.

biscoitos_de_pascoa_2009_04_11-017Dizem que os tais “aceddi cu’l’ova“, aves com ovos – até uns cinquenta anos atràs, eram (sempre a mesma massa de pao/biscoito) moldados preferencialmente na forma de pomba (por isso o nome) tendo no centro do corpo um ovo cozido (com casca) recoberto com duas listinhas de massa, formando uma cruz. Hoje quase desapareceu a forma antiga de molde, de pomba, mas a criatividade é infinita e cada um libera sua fantasia, e faz a forma que lhe dà na telha, remodelando a tradiçao.

biscoitos_de_pascoa_2009_2As mammas e nonnas, em casa, no sàbado da vigilia da Pascoa, preparam tantos “aceddi” quantos saos os membros da familia, além de outros muitos biscoitinhos (feitos com sobras da massa) em formas mais simples, sem ovo, e todos decorados com confeitos coloridos, tornando-os ainda mais alegres e gostosos.

Entao, nesse ultimo sàbado, passei uma agradàvel manha “impastando” com as mulheres da familia do marido Ernesto, me sentindo parte de algo muito grande e muito bonito, tradicional, ritualistico e aprendendo algo mais além do que fazer biscoitos.

A receita voce encontra na aba de receitas là em cima do blog ou clicando aqui.

Read Full Post »

lobato

O Blog Fio de Ariadne, da Vanessa lançou a blogagem coletiva “Quem foi seu Monteiro Lobato?” e convoca todos a participarem.

Dessa vez a editora JORGE ZAHAR EDITOR, propos ao Fio de Ariadne uma coletiva em comemoraçao ao Dia Nacional do Livro comemorado em 18 de abril e ela aceitou criando uma coletiva especial! A editora presentearà os autores dos tres melhores textos com lançamentos de seu catalogo, que serao entregues no endereço do premiado. Assim, além de escrever sobre suas lembranças na literatura, o participante concorrerà a um dos livros abaixo:

Arte-bamboles02.indd Barbies, bambolês e bolas de bilhar
67 deliciosos comentários sobre a fascinante química do dia-a-dia
Joe Schwarcz

 

livro-2-seis-graus Seis graus
O aquecimento global e o que você pode fazer para evitar uma catástrofe
Mark Lynas

 

livro-3-einstein-cozinheiro O que Einstein disse a seu cozinheiro
A ciência na cozinha
Robert L. Wolke

 

 

Como participar?

Inscreva seu blog deixando um comentário no post da coletiva là do blog da Vanessa (pode CLICAR AQUI), leve o selo do evento para o seu blog e publique, dia 18 de abril, um texto que conte como foi seu primeiro contato com o mundo das letras. Quem foi seu Monteiro Lobato? Quem incentivou voce a ler?

Atençao, sò concorrerao aos livros os textos publicados no dia 18 de abril.

Eu to nessa.. e voce?

Read Full Post »

Pascoa??

 

– Pai, o que é Páscoa?
– Ora, Páscoa é …… bem… é uma festa religiosa!

– Igual ao Natal?
– É parecido. Só que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus, e na Páscoa, se não me engano, comemora-se a sua ressurreição.

– Ressurreição?

– É, ressurreição… – Meu bem, vem cá!
– Sim?
– Explica a esta criança o que é ressurreição para eu poder ler o meu jornal descansado.

– Bom, meu filho, ressurreição é tornar a viver após ter morrido. Foi o que aconteceu com Jesus, três dias depois de ter sido crucificado. Ele ressuscitou e subiu aos céus. Entendido?
– Mais ou menos……..

 

Mamãe, Jesus era um coelho?
– Que é isso menino? Não me diga uma coisa destas! Coelho! Jesus Cristo é o Pai do Céu! Nem parece que este menino foi batizado! Jorge, este menino não pode crescer assim, sem ir à missa pelo menos aos domingos. Até parece que não lhe demos uma educação cristã! Já pensou se ele diz uma asneira destas na escola? Deus me perdoe! Amanhã vou matricular este fedelho no catecismo!

– Mamãe, mas o Pai do Céu não é Deus?
– É filho, Jesus e Deus são a mesma coisa. Vai estudar isso no catecismo. É a Trindade. Deus é Pai, Filho e Espírito Santo.

– O Espírito Santo também é Deus?
– É sim.

– E Fátima?
– Sacrilégio!!!

– É por isso que na Trindade fica o Espírito Santo?
– Não é o Banco Espírito Santo que fica na Trindade, meu filho. É o Espírito Santo de Deus. É uma coisa muito complicada, nem a mamãe entende muito bem, para falar a verdade nem ninguém, nem quem inventou esta asneira a compreende. Mas se perguntar à catecista ela explica muito bem!

– Bom, se Jesus não é um coelho, quem é o coelho da Páscoa?
– (gritando) EU SEI LA! É uma tradição. É igual ao Pai Natal, só que em vez de presentes, ele traz ovinhos.

– O coelho põe ovos?
– Chega! Deixa-me ir fazer o almoço que eu não aguento mais!

– Pai, não era melhor que fosse galinha da Páscoa?
– Era, era melhor, ou então peru.

– Pai, Jesus nasceu no dia 25 de Dezembro, não é? Que dia que ele morreu?
– Isso eu sei: na sexta-feira santa.

– Que dia e que mês?
– ??????? Sabes que eu nunca pensei nisso? Eu só aprendi que ele morreu na sexta-feira santa e ressuscitou três dias depois, no sábado de aleluia.

– Um dia depois portanto!
– (gritando) Não, filho – três dias!

– Então morreu na quarta-feira.
– Não! Morreu na sexta-feira santa… ou terá sido na quarta-feira de cinzas? Ah, meu filho, já me confundi todo! Morreu na sexta-feira e ressuscitou no sábado, três dias depois!E… Como!?!? Como!?!? Pergunte à sua professora de catecismo!

– Pai, então por que amarraram um monte de bonecos de pano na rua?
– É que hoje é sábado de aleluia, e a aldeia vai fingir que vai bater em Judas. Judas foi o apóstolo que traiu Jesus.

– O Judas traiu Jesus no sábado?
– Claro que não! Se ele morreu na sexta!!!

– Então por que eles não lhe batem no dia certo?
– É, boa pergunta.

 

– Pai, qual era o sobrenome de Jesus?
– Cristo. Jesus Cristo.

 

– Só?
– Que eu saiba sim, por quê?
– Não sei não, mas tenho um palpite de que o nome dele tinha no meio Coelho. Só assim esta coisa do coelho da Páscoa faz sentido, não acha?

 

– Coitada!
– Coitada de quem?

 

– Da sua professora de catecismo!!!

(recebi por mail, desconheço o autor, mas achei genial! Né, nao?)

Feliz Pascoa! hehehehehe…

CaFoFo da LuLuEscrito por LuLu, sábado , 22 de Março de 2008.

Hahahaha.. Adoro essa confusao! Hihihihi.. 🙂

Dias de festa, entao me perdoe os posts requentados. To curtindo a familia e as tradiçoes pascais sicilianas. Uma comilança.. afff! depois eu volto pra contar as novidades, as viagens e pra dizer o que eu descobri sobre essa confusao toda que fizeram com os rituais pagãos no mundo todo.

Buona Pasqua a tutti!!
 

Read Full Post »

Viva!

Uma hora de intenso prazer substitui com folga três horas de sono perdido. O prazer recompõe mais que o sono.

Logo, não perca uma oportunidade de divertir-se.

– Gurdjieff –

Read Full Post »

Mã?

Quero te agradecer muitoooo, porque eu tenho muito a agradecer a voce que é uma das pessoas mais lindas da minha vida, que eu amo apaixonadamente,  que eu tenho orgulho e que me aguenta, nem sei como, hà quase quarenta anos, e que mesmo quando eu to com a macaca-virada-no-teteu-de-tao-chata voce ainda me pega no colo e me chama de “pholinha de figo” e “filhim da “.   🙂

Mae é mae, né? Sò ela, mesmo.

Ainda quero agradecer a minha mae de novo por ter me dado a vida e me ensinado a viver, a comer, a falar, a andar, a correr, a ler, a escrever, a escovar os dentes, a tomar banho, a cuidar de mim, a cozinhar, a lavar, a arrumar, a costurar, a bordar, a tricotar, a crochezar, a desenhar, a ouvir, a cantar, a dançar… E ela ainda continua me ensinando.

E por fim, agradeço a minha mae outra vez, porque ela é minha e eu posso agradecer cento-e-cinquenta-e-dez vezes ou até o mundo acabar que ainda nao vai ser o suficiente pra expressar toda a emoçao e gratidao que eu sinto a cada gesto seu, cada palavra sua, a cada vez que ela me liga, cada vez que nos falamos no messenger, ou quando ela, no maior sacrificio, me manda um pacote que demora um século pra chegar, cheio de coisinhas gostosas de comer, ou roupinhas que eu nao pude trazer, sapatos que deixei pra tras, livros (chegou, viu?), penduricalhos, coisitas de todo o genero, e sempre com muito amor, com bilhetinhos, com desenhos, com paciencia, com carinho, mais amor de novo… e dà-lhe amor!

Grazie, mã!!! TE AMO! MUITO!

O bom disso tudo é que todo esse amor que sentimos ressoa no universo inteiro.

Sentiu aì? 😉

Read Full Post »

 
Qui si mangia bene!

A gastronomia italiana original é caracterizada por sua diversidade de influências, aromas e pratos pouco conhecidos no Brasil. pesquisamos o que é que esta culinária tem de especial para conquistar paladares por todo o mundo

TEXTO Júlia Zillig

Pizzas e pastas. Ao falar em cozinha italiana no Brasil logo se pensa nesses dois pratos, servidos nas velhas conhecidas cantinas e pizzarias. Isso acontece por conta das referências históricas trazidas pelos imigrantes italianos. A massa era colocada à mesa, aos domingos, quando a família se reunia, e também em dias de festa, para celebrar. E o mesmo acontecia com a velha redonda. O pão e o salame também não faltavam. No entanto, quando se pensa em gastronomia italiana, o céu é o limite. O universo de referências é extremamente vasto e diferente em cada região da Itália, também influenciado pelas várias colonizações, mudanças sociais e políticas ao longo das décadas. O resultado disso: uma gastronomia com grande riqueza de sabores e aromas.

Antes de abordar a culinária das principais regiões da Itália, vale contar um pouquinho sobre aspectos históricos que são determinantes na definição da gastronomia multifacetada do país. As raízes da cozinha italiana encontram-se no século IV, na Idade Média, vindas das influências árabes, principalmente na região da Sicília, que expandiu sua culinária regional com o amplo uso de produtos vindos do Oriente Médio, como é o caso das especiarias. Do oriente, veio também uma invenção chinesa trazida pelo viajante Marco Polo: o macarrão.

Já no século XVII, foram os espanhóis que deixaram sua marca na cozinha da Itália, adicionando produtos vindos da América, como tomate, batata, feijão, milho, cacau, rum e café. A França também colocou sua marca. Na época de Napoleão Bonaparte, os franceses agregaram outros itens, como produtos derivados do leite (manteiga e creme de leite).

O intenso comércio de alimentos durante o Império Romano, que movimentava a cidade de Roma, trouxe caravanas com alimentos vindos de vários países da Europa, África e Ocidente. Cereais, pães, vinho, azeitona, legumes, frutas frescas, amêndoas, nozes, avelãs, queijo, ovo, porco, carneiro, galinha, faisão, avestruz, javali, etc. Já com o Renascimento, os banquetes exagerados deram lugar a uma gastronomia mais refinada, com requinte e sobriedade nos pratos. Menos especiarias, mais leveza e apresentação.

Os italianos valorizam os ingredientes de sua região. Abusam de molhos e temperos e de pastas, peixes, frutos do mar, carnes com cortes diferenciados como ossobuco, escalope de vitela, entre outros. O azeite de oliva é praticamente a base da gastronomia italiana, juntamente com temperos de ervas frescas como alecrim, salsa, sálvia, tomilho, manjericão, manjerona, entre outros. Bottarga, funghi porcini, anchova, mussarela de búfala completam o pacote na confecção dos pratos.

RÚSTICO ORIGINAL – Na região central da Itália, onde fica Roma, a gastronomia local é considerada uma cozinha mais “simples”. É conhecida pelo melhor nhoque do país. “É uma região sem grandes influências da culinária européia, não tinha aristocracia e era devotada ao papa”, conta o chef italiano Marco Renzetti, proprietário do restaurante Osteria del Pettirosso, em São Paulo (SP), que tem a proposta de oferecer a culinária romanesca original. Marco conta que o lado religioso influenciou fortemente a cozinha de Roma. Por conta da propagação dos ideais cristãos, ligados à pobreza, a cultura gastronômica da região evoluiu nas mãos dos camponeses, feita à base de ingredientes fortes, com a presença de gorduras animais, carne de carneiro e porco.Já a comunidade que não era ligada à igreja católica – os hebreus, por exemplo – desenvolveram uma culinária mais refinada. “Eles usavam muito peixes e frutos do mar, além de verduras”, diz Marco. Um dos pratos célebres é o Carciofala Gildea, feito com alcachofras. “As folhas de alcachofra na Itália são comestíveis, fritadas no azeite.”

Um dos queijos mais utilizados na culinária romana é o pecorino. Por conta de seu desenvolvimento local e preço mais acessível do que o conhecido parmesão (ou parmiggiano), ganhou espaço nos pratos. O Spaghetti alla Carbonara é outro prato vindo de Roma. No entanto, no Brasil é feito com creme de leite, sendo que o original é feito com ovos, pecorino e panceta. “Roma nunca foi referência em relação à sofisticação, mas tem pratos deliciosos.” Molhos como matriciana, putanesca, por exemplo, hoje também conhecidos no Brasil, saíram desta região.

No restaurante Pettirosso, Marco conta que faz alguns pratos que seguem a escola gastronômica La Macellara, que abusa de miúdos de animais. Um dos pratos é um rigatone com tripa de vitela de leite cozida com tomate, pimenta e toucinho de porco. “Aqui no Brasil esse tipo de prato é desconhecido.” Ao contrário do que se pensa, na gastronomia romanesca o vinho branco é bastante utilizado para marinar carnes. “São carnes mais novas.” Leitão e carneiro são algumas das mais servidas.

RIQUEZA VERSÁTIL – Na região norte da Itália – Piemonte, Vêneto, Ligúria -, a influência francesa é fortemente notada. Risotos feitos à base de muita manteiga, massas frescas e polenta fazem parte do cardápio. “O risoto é um prato versátil”, diz o chef e banqueteiro italiano Carlos Bertolazzi. Queijos grana padano, fontina, parmesão e as famosas trufas brancas são destaques nessas cidades.O risoto mais conhecido é o alla parmiggiana, feito com queijo parmesão. Logo depois, o alla millanesa, com tutano de boi e açafrão. O de funghi porcini também se tornou um clássico, inclusive no Brasil. “Os brasileiros ainda conhecem pouco da gastronomia de cada região da Itália”, opina Carlos.

As carnes são cozidas no vinho, mas com menor quantidade da bebida, dando suavidade e leveza ao prato. “Na Lombardia, se come muito a Costoletta alla Milanese. Usam a parte da carne da costela do boi”, diz Carlos. Por ser uma região montanhosa, há uma forte tradição pelos assados e cozidos, incluindo a utilização de especiarias como cravo, anis estrelado e canela. “Nos restaurantes do norte, é raro encontrar pratos à base de molho de tomate, algo freqüente no sul.”

Frutas secas e avelãs compõem grande parte das sobremesas. É do norte que sai o tradicional Tiramissu e a Panna Cotta. “Naquela região, por conta da pecuária bovina nas montanhas, o acesso ao creme de leite e à manteiga é maior”, diz Carlos. Uma das iguarias mais importantes da gastronomia italiana está exatamente na região de Piemonte. A trufa de Alba, menina- dos-olhos de chefs do mundo todo, sai dos bosques do Piemonte. Com uma descrição peculiar, algo único, a trufa é um produto caro, mas adequadamente harmonizada com massas frescas e principalmente com ovos com gema mole.

As massas no norte são frescas – diferentemente da região central, onde são mais secas. A polenta, outro grande prato da região, é feita com sêmola mais grossa. “A polenta era um prato feito pelos italianos mais pobres. Os camponeses comiam-na de manhã, como se fosse um mingau. Depois de endurecida, cortavam em pedaços e fritavam, para molhar no molho de peixe.” Hoje, a polenta é um tradicional acompanhamento de ossobuco de vitela e servida com muito charme.

TRADICIONAIS E ROBUSTOS – Na região sul da Itália, a influência da dominação espanhola é marcante, além das referências gregas e turcas. “É uma cozinha forte, com muitos contrastes entre o doce e o salgado”, diz Marco. Frutos do mar, peixes, pasta feita de grão duro e sem ovo, pães robustos, muito molho de tomate e pizzas. “Existe uma predominância para sobremesas fritas, como é o caso do canole”, conta Carlos.

Com uma enorme diversidade de aromas, sabores e influências, a gastronomia italiana é referência ao redor do mundo. E com certeza deve continuar deixando suas marcas ao longo dos anos.

Fonte: Portal espresso: www.revistaespresso.uol.com.br

Read Full Post »

cucina_del_sole_2009_04_08-Diploma

Cucina del Sole invadiu a minha vida.

‘A partir de hoje, tenho oficialmente curso de culinària na Italia, mas além do fato de que o mundo dà muitas voltas (nao sei como nao ficamos tontos) eu nao sei ainda, exatamente, o que mais um curso significa na minha vida. Sei também que estou bem  orgulhosa desse meu primeiro passo no novo mundo, dessa primeira sementinha plantada na minha nova història.

Missao cumprida.

Os frutos virao… Assim como outras sementes… Me aguarde.

Read Full Post »

… Mas nao foi nem perto daqui.

Foi numa regiao chamada Abruzzo. O epicentro foi sob a cidade de Aquila e seus municipios.
Clicando aqui voce ve o ponto vermelho que é Aquila, e Catania, onde eu moro, fica na Sicilia que é a grande Ilha que se ve abaixo, fora da “bota”.

sat_italia

No dia 22 de março desse ano, ou seja, alguns dias atràs, essa mesma cidade sentiu uns leves tremores de terra (magnitude 2.3).  Entao… todo mundo se apavorou, pirou, pediu ajuda dos universitarios e tudo, pra saber o que fazer: sair de casa por precauçao? Ou ficar? Bom, os (i)responsàveis do governo mandaram todos ficarem belos, tranquilos e em casa, com todas as explicaçoes cientificas possiveis, afirmando categoricamente que nao era nada perigoso. Os registros mostravam tremores desde janeiro, e cada vez mais fortes, mas ninguem disse nada à populaçao. Na verdade, dizem, sim. Dizem que nao se pode prever um terremoto e qualquer pessoa que disser o contrario é processada por alarmismo.

Deu no que deu.

Nesse ultimo domingo – 05 de abril – por volta de meia noite, a populaçao de Aquila sentiu o primeiro grande tremor de terra e por volta de 3:30 da madrugada o golpe que destruiu tudo (magnitude 5.8). Ainda agora se sentem dezenas de tremores, em toda a regiao, que destruiram completamente  a pequena cidade de Onna, e hoje ainda, por volta de 19:45, um novo forte tremor (magnitude 5.3) que foi sentido também na regiao vizinha, de Lazio, em Roma, provocando alguns desabamentos.

Somente em L’Aquila até esse momento:

Jà sao 235 vitimas oficiais.

17 dessas ainda nao identificadas.

15 pessoas ainda desaparecidas.

1500 pessoas feridas dos escombros.

Mais de SETENTA MIL pessoas desabrigadas.

Os danos ao patrimonio històrico sao incalculàveis.

Read Full Post »

Eco-lògica

Bom, se voce ainda nao sabe eu vou te contar: jà começou a era da àgua. O que isso significa? Significa que nao serà mais por causa dos poços de petroleo que o mundo vai brigar, mas por cada pedacinho de terra que tenha os maiores recursos hidricos do planeta. O petròleo move a industria, as maquinas e o progresso… E a àgua? Move os seres humanos!!

Num paìs como o Brasil, onde a azulzinha é limpida e abundante, isso parece brincadeira de criança. Jà do lado de cà, do velho mundo, onde os caras usaram e abusaram do que nao é de ninguem mas é da humanidade, qualquer litrinho de àgua mineral vagabunda jà custa em média 0,15 centavos  de euro! Se pra sobrevivermos nesse mundinho-de-meu-deus nos ensinam que devemos beber AO MENOS dois litros de àgua por dia, faz aì as contas da encrenca: Sao 108 euros e 720 garrafas plasticas jogadas no lixo por ano! Dòi no bolso e na consciencia também.

Nao é por que sobra no Brasil e falta de cà que nao devemos TODOS aprender a economizar àgua. Vamos cair na real? Nao é uma questao de ecologia, é sobrevivencia, mesmo!! No fim das contas aquela història de que o bater de asas de uma borboleta numa parte extrema do planeta influencia as marés de uma outra parte, nao me parece assim tao absurda.

economiadeagua

 

A dica da tabela de economia de àgua eu tirei do blog Favoritos.

A tabela original voce encontra aqui.

Read Full Post »

Viva!!

Há uma coisa tão inevitável quanto a morte: a vida.
– Charlie Chaplin –

Read Full Post »

Sorrí

Hoje é um daqueles dias em que a musica fala por mim.

Sorrí – Djavan

Read Full Post »

A B. do blog Brasil Na Italia publicou uma notinha de uma polemica que eu resolvi reproduzir aqui:

Polêmica italiana: laranjada sem suco de laranja!
A notícia foi divulgada em todos os jornais italianos e trata-se da mais nova polêmica do momento: o senado acaba de aprovar uma lei européia que elimina a obrigação de um conteúdo mínimo de 12% de suco de laraja nas laranjadas. Os agricultores estão furiosos e dizem que é um dano para a saúde e para os negócios.

A primeira impressão é que se trata de mais uma reclamação de quem não tem o que fazer. Mas parando para refletir, podemos imaginar o prejuízo para os agricultores que vivem da produção de laranja, e passarão por uma redução consistente de venda em uma época dita de crise. Ainda por cima, a prejuízo do consumidor, que perde em qualidade do produto.

Para quem quiser saber mais, confira algumas das manifestações: artigo no jornal La Nazione e discussão em outro blog (os dois em italiano).

 

A notinha me atinge diretamente. Primeiro porque a unica bebida, digamos assim, nao-natural ou fabricada, que eu tomo é a tal da laranjada, gasosa ou nao. Sem contar o vinho, claro, que nao falta nunca. Segundo porque  essa medida é um grande contra-mao no movimento natural de busca de bem estar, de garantir um minimo de qualidade nos alimentos que venho vivendo. Eu sò nao, o mundo inteiro!  Mas por outro lado, refletindo bem, se os caras nao garantem que a laranjada tenha no minimo os 12% de suco natural e vitamina C garantidos até entao, eu vou acabar tomando SOMENTE suco natural (o que é òòòtmo!) e no fim das contas quem sai ganhando sou eu. Hehehehehe.

Eu e a minha eterna sindrome de Pollyana. Voce conhece esse livro? Poisé, ando numa fase total de “jogo do contente”, viu?

Read Full Post »

:-D

No dia primeiro de abril eu nao publiquei nenhum post.

E é verdade.

Read Full Post »