Feeds:
Posts
Comentários

Archive for janeiro \31\+01:00 2009

TPM comprovada cientificamente

No ano passado saiu uma materia na revista Boa Forma que falava sobre TPM e eu, vitima mensal desse algoz, fiquei antenadinha no que ela dizia e jà que nao sou a unica, resolvi passar pra voces algumas observaçoes que encontrei por là. 

O principal conforto para nòs é que hoje em dia é comprovado cientificamente:  tensao pré-menstrual existe, sim. Antigamente, muito antigamente mesmo, na época que a minha mae era mocinha, por exemplo, muitas mulheres eram consideradas vitimas de esquizofrenia e eram colocadas em manicomios quando começavam a manifestar essa verdadeira loucura que a TPM nos traz, voce sabia? Poisé, mas, por mais que os hormonios tenham o seu papel, dizia a materia da revista, sozinhos sao incapazes de fazer um estrago tao grande. A nova abordagem sobre o tema relaciona a intensidade dos sintomas com a satisfaçao na vida. Portanto, para se livrar da TPM, é preciso administrar os conflitos do dia-a-dia. Ninguem està dizendo que nao SOFREMOS, mesmo, com a tensao pré-menstrual. A pesquisa mais recente sobre o assunto, realizada em julho de 2008 pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), mostra que 80% das 1053 entrevistadas tem ou já tiveram TPM. Os sintomas mais comuns sao nossos velhos conhecidos: inchaço, dor nas mamas, hipersensibilidade emocional e irritabilidade, muita, mas muita (eu jà disse MUITA?)   irritabilidade! Os hormonios, claro, fazem parte dessa história. O nível de progesterona diminui no finalzinho do ciclo menstrual e provoca muitas dessas sensaçoes. Agora, o que o novo estudo aponta é que considerar que a oscilação hormonal é capaz de, por si só, tirarnos do eixo, é excluir dessa jogada nossos problemas reais, nossos desajustes no trabalho, no casamento, na vida… 😦

A frase da materia (de Nicole Plapler, psicanalista de Sao Paulo) era exatamente assim: “A TPM nao cria problemas, apenas potencializa os que já existem”. Isso significa que aquele choro sem controle ou a grosseria que voce fez para a sua colega no trabalho só aconteceu porque, além dado sobe e desce hormonal, existiam outras coisas fora do lugar. Por isso mesmo, a TPM é chamada de um evento biopsicossocial, em que “bio” representa o físico, “psico” a mente e “social” as relaçoes. A psicologa Mara Pusch, psicóloga da Universidade Federal de Sao Paulo (Unifesp) continua dizendo: “Quando você está de férias na praia, a TPM tende a ser muito mais suave do que aquela que ocorre na véspera de uma prova importante ou no meio de uma crise conjugal”.

 
Exatamente isso, sem licença para ter chilique, viu? O que alguns profissionais  chamam a atençao é pra termos cuidado para nao usarmos a TPM como desculpa para todos os tipos de excessos, para justificar a explosão no trabalho, a briga com o marido e o bate-boca com a atendente do supermercado. “Ela aparece uma semana antes da menstruaçao, nao mais cedo do que isso. A mulher pode estar com uma depressao leve, um problema hormonal, mas nao procura ajuda porque culpa a TPM”, diz Carlos Alberto Petta, ginecologista da Unicamp e coordenador da pesquisa sobre o tema.

Alguns numeros interessantes que a pesquisa mostrou:

84,1% dos homens afirmam reconhecer uma mulher com TPM.
78,9% das mulheres acreditam que o parceiro consegue perceber quando ela está na TPM.
Segundo as mulheres, 54,8% dos homens tentam entendê-la nessa fase sem brigar.
54,6% das mulheres notam os estragos da TPM nos relacionamentos familiares.
46,5% das mulheres percebem o impacto da TPM no trabalho.
Segundo as mulheres, 11% dos homens ficam irritados e impacientes quando elas estão na TPM.

O que me chamou a atençao na matéria é que eles sugerem que o caminho para aliviar os sintomas da TPM e evitar usá-la como justificativa para os chiliques é olhar com atençao para a nossa vida. Reconhecer quais sao os verdadeiros problemas, tentarmos procurar uma soluçao para cada um deles e, assim, buscarmos viver melhor. O primeiro passo para isso é modificarmos os hábitos negativos. Sim, a gente sabe que nao é fácil, mas o esforço compensa. Quem trabalha mais de dez horas por dia, se alimenta apenas de sanduíche ou alimentos cheios de açucar ou gorduras, ou não faz uma atividade física tende a perceber os sintomas de modo mais acentuado. A dica dos profissionais: “Se você mudar o estilo de vida e mesmo assim continuar sofrendo, aí, sim, é hora de conversar com o seu médico”.

No fim das contas o que todas jà sabemos: para vencermos qualquer coisa, seja a TPM, uma doença ou um problema, é preciso tomar alguma atitude, e isso ninguém vai fazer por voce.

Read Full Post »

renatinha_posse_Itamaraty_jan_2009

“O sucesso é uma viagem, uma jornada e não um destino.”
-Arthur Robert Ashe, Jr-

Fui uma das primeiras pessoas da familia a te pegar no colo assim que voce nasceu e nunca vou me esquecer do quanto voce me transmitia serenidade. Aquele pacotinho de gente, de cabelinho arruivado e narizinho arrebitado, tao rosinha. Te amei muito e desde o primeiro instante como a uma irmazinha, com um sentimento de pura ternura desses que a vida nao explica de maneira racional, entende? Me vem um desejo forte de estar aì hoje pra te abraçar, te pegar no colo, pra compartilhar esse momento com voce… No mesmo instante me lembro que na verdade eu estou também aì com voce pois somos todos um.

Minha piminha linda, que nessa estrada que voce apenas começou a trilhar tenha muita luz e muita vida a te acompanhar. Que a luz nao te cegue jamais, meu amorzinho, mas sim ilumine o caminho e te ajude a prosseguir sempre tranquila e segura, na certeza de que nada é impossivel para  aqueles que acreditam.

Te amo.

Read Full Post »

Neve

 mosaico_neve_21

Read Full Post »

Meme – Pecados e a LuLu

Nao quero me tornar repetitiva por falar de outro meme em tao pouco tempo, mas gosto de falar de mim, o que eu posso fazer? 🙂 O que me justifica, ainda, é o fato de que colocar aqui os meus pecados capitais me forçou a fazer uma pequena pesquisa, coisa que eu adoooro ainda mais do que falar de mim. 

O meme atual foi proposto pela Gisele do blog Eu na Austria.

Primeiro vou falar um pouco de pecado. Pecar vem de “pecare” que significa “errar de alvo”. Pecado designa todas as transgressoes de uma Lei ou de princìpios religiosos, éticos ou normas morais; podem ser em palavras, açoes (por dolo) ou por deixar de fazer o que é certo (por negligencia ou omissao), ou seja, onde há Lei, se manifesta o Pecado. Os pecados capitais sao aqueles considerados os principais, porque através deles se cometem outros pecados menores.

Segundo eu quero explicar o que é cada pecado capital.  Aqui  tem uma parte da explicaçao que a Gi passou e ainda acrescentei mais alguma coisa que pesquisei.

Os sete pecados capitais eram oito, elaborados no inìcio do Cristianismo pelo monge grego Evagrio do Ponto, e definindo as principais inclinaçoes negativas do ser humano (curioso que na lista de Evagrio, o pecado mais grave é a gula…). Todos eles eram capazes de levar-nos ao inferno. Por volta do ano 600, o Papa Gregorio, fez a primeira reforma da lista, incluindo a “inveja”, mas fundindo orgulho e vaidade. No século XVII a lista foi novamente reformada, e a “melancolia” deixou de ser pecado, sendo substituìda por “preguiça”.

Chegamos então à lista que hoje nos serve de base:

1) Gula: representa o desejo insaciàvel do ser humano de ter sempre mais do que jà tem e precisa; na maioria das vezes, as pessoas consideram a gula o pecado de comer excessivamente e mais do que necessita, mas esse pecado também està relacionado ao egoìsmo humano e ao exagero: querer ter sempre mais e mais, nao se contentando com o que jà tem;
2) Avareza: é a cobiça de bens materiais e dinheiro; avareza, no cristianismo,  é sinônimo de ganancia, ou seja, é a vontade exagerada de possuir qualquer coisa; na concepção crista, a avareza é considerada um dos sete pecados mortais, pois o avarento prefere os bens materiais ao convìvio com Deus; neste sentido, o pecado da avareza conduz à idolatria, que significa tratar algo, que nao é Deus, como se fosse deus.
3) Inveja: é o desejo por atributos, posses, status, habilidades de outra pessoa gerando um sentimento tao grande de egocentrismo que renegue as virtudes alheias, somente acentuando os defeitos; a origem latina da palavra inveja é “invidere” que significa “não ver”;
4) Ira: é a junçao dos sentimentos de raiva, ódio, rancor que às vezes é incontrolável; é um sentimento mental e emotivo de conflito com o mundo externo ou consigo mesmo, que controlamos pouco e manejamos pior ainda, deixando-nos fora de nossas açoes;
5) Vaidade: (também chamada de Orgulho ou Soberba) é o desejo de atrair a admiraçao das outras pessoas; é caracterizada pela falta de humildade de uma pessoa, alguém que se acha auto-suficiente; é considerado o mais grave dos pecados capitais; é o amor próprio que vai além dos limites, e que coloca acima do amor de Deus; vai contra o Primeiro Mandamento (Amai a Deus sobre todas as coisas), e foi esta paixao que provocou a rebeliao dos anjos e a queda de Lúcifer;
6) Luxúria: consiste no apego aos prazeres carnais, corrupçao de costumes; sexualidade extrema, lascívia e sensualidade; desejo desordenado pelo prazer sexual; os desejos e atos sao desordenados quando nao se conformam com o propòsito divino, que é propiciar o amor mùtuo entre os esposos e favorecer a procriaçao.
7) Preguiça: aversao a qualquer tipo de trabalho ou esforço físico; caracterizado pela pessoa que vive em estado de falta de capricho, de esmero, de empenho, em negligencia, desleixo, morosidade, lentidao e moleza, de causa organica ou psìquica, que a leva à inatividade acentuada; aversao ao trabalho, frequentemente associada ao ócio, vadiagem; é uma falta de esforço fìsico ou espiritual, que degenera a alma e leva à tristeza e à depressao.

Regras:
– Citar em que voce se enquadra em cada um dos pecados capitais;
– Publicar suas respostas no blog;
– Passar para 8 blogs (acho muito!)
– Avisar e linkar os blogs escolhidos

Foi uma longa reflexao, a que fiz, pra chegar até a publicaçao dos aspectos dos meus pecados, sabe? Loooooonga, esticando bastante pra pronunciar o “O”. Foram alguns dias de auto-reconhecimento, penitencia e vergonha e a conclusao a que cheguei é que de zero a sete eu peco onze e meio, mais ou menos.

Pecados e a LuLu:

1) Gula: Eu quero muito mais do que jà tenho. Quero mais beijos do marido do que jà tenho, quero mais atençao de toda a familia e amigos do que jà tenho, quero mais recadinhos no blog do que jà tenho, quero mais sapatos do que jà tenho, quero mais bolsas (hummmmm)… Eu como, também, bem além das minhas necessidades. Me perco nos cremes, nos paes (com os cremes, inclusive), nos salames, nos queijos, nas castanhas, nas massas, nos bolos. Tem dia que eu acordo sonhando com leite com café, pao, manteiga e geleia de goiaba, tudo junto ao mesmo tempo, agora e muito. Porque serà que eu nao acordo algum dia com uma vontade incontrolàvel de comer verdura, hein?
2) Avareza: Eu cobiço, sim, mas taì um quesito que nao me envergonho porque eu nem consegui imaginar algo forte pra exemplificar aqui. Depois de muito refletir e até de pedir ajuda ao marido Ernesto eu reconheci que sou avarenta com meu espaço fisico, com meus armarios, minhas estantes (veja que é tudo MEU, han?) e quando eu arrumo uma coisa ela deve continuar  exatamente como eu arrumei, senao eu dou um ataque. Ninguem pode tocar. Pegou o aspecto do apego material?
3) Inveja: Ai. Esse doi. Eu invejo. Muito. Invejo a boca, o corpo, a pele, os cabelos, o talento (e até o marido, nè nao? Diz aì! Confessa, vai!) e tudo o mais da Angelina Jouliiiii!!!!! E’ que ando numa fase bastante insatisfeita com meu corpo e, bem verdade, nao estou me “vendo” muito, mesmo. Sorte que estamos no inverno e eu me cubro da cabeça aos pés que nem aquelas mulheres de burca.
4) Ira: Sò esse pecado aqui vale uns tres pontos. Como um veneno que corroi lentamente as minhas entranhas e que cedo ou tarde me portarà a morte… assim é a minha visao da Ira. Meus hormonios me chicoteiam, me cospem na cara, me chutam no estomago e me  jogam quase todo mes  dentro  de um caldeirao fervente cheio deste pecado. E eu, como uma cadela raivosa, com direito à baba e latidos bestiais sucumbo. Uma visao do demo, imaginou?
5) Vaidade: Eu desejo muito obter a atençao, o carinho e também a admiraçao das outras pessoas, admito. Esse blog é o que, por acaso? Fisicamente, como jà disse, nao ando numa fase das melhores, ando com a auto-estima até bem baixa. Me considero inteligente, até acima da média, mas nao me acho auto-suficiente. Agora, sou muito chata com detalhes e quando faço, acredito que faço bem feito e bem melhor do que muita gente que eu conheço.
6) Luxúria: A luxuria e a gula se confundem. A maior diferença seria que a gula é exagerada na quantidade e a luxuria no refinamento e na qualidade. Eu sou exagerada nos dois. Adoro sujeitar a minha lingua a incursoes delicadamente sensoriais pelos caminhos do experimentar e vou longe, bem longe, com paciencia, sem me cansar. No campo dos sentidos sou aquela dos toques sutis, dos sussuros ao pé do ouvido, dos olhares longos carregados de emoçao e da ausencia total de pressa.
7) Preguiça: A mais triste e dura de todas as reflexoes. Essa fase em que me encontro me causou uma duvida daquelas tipo Tostines: Eu acordo sem vontade de fazer qualquer coisa porque estou deprimida ou eu estou deprimida porque acordo e sucumbo a falta de vontade de fazer qualquer coisa?

Eu vou sugerir sò a metade das pessoas que me indicaram, mas voce pode indicar quem voce quiser, ok? Se eu lembrar de mais algume eu coloco aqui. La vai, sugiro essa reflexao que propoe o meme para:
Pra Gente Ser Feliz
Blog da Re
Manga Com Pimenta
Noticias da Bota

Fontes de pesquisa: Guerreiro da Luz, Wikipedia, Alunos Online, Natureba.

Read Full Post »

Comemoram-se hoje 64 anos da libertaçao do campo de concentraçao de Auschwitz-Birkenau e para que as vítimas nao sejam esquecidas, a Organizaçao das Naçoes Unidas determinou que este, passaria a ser o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

Hoje, entao, em toda a Italia foi um dia dedicado à memoria dos milhoes de judeus exterminados durante a Segunda Guerra Mundial. Manifestaçoes publicas, filmes, documentarios e uma profusao de debates nao deixaram passar em branco esse periodo verdadeiramente memoràvel. A idéia principal é nao esquecer o horror que foi aquilo tudo e nao permitir, com o possivel esquecimento, que qualquer coisa semelhante possa acontecer novamente na historia da humanidade.

A mim, no fundo, muito além das imagens de seres humanos em agonia extrema e dos numeros que conhecemos, mais de 6 milhoes assassinados, o que mais marcou foram os numeros estatisticos que mostram que, atualmente, 12 em cada 100 italianos se declaram abertamente antissemitas e 25 em cada 100 italianos sao antipatizantes de judeus. 😦

Nao sei os numeros de outros paìses, mas a questao nao é essa. Ainda que fosse UMA unica pessoa no mundo a declarar essa sandice, e olha que digo isso observando piamente o exercicio de respeito pela divergencia de idéias que tento praticar na minha vida, me sinto muito mal, quase doente com essa història, como se esse sentimento que nasce na alma de um ser e que o faz julgar-se tao diferente ou melhor do que outros seres a ponto de desejar eliminà-los, fosse como um virus a contaminar a saude da unidade a qual fazemos parte.

Somos um.

Nesse dia da memoria… e todos os outros também… nao se esqueça disso.

Read Full Post »

Realizando sonhos

Domingo vi neve pela primeira vez e foi um dos dias mais emocionantes da minha vida. Aliàs, nesses ultimos dois anos, é bem dificil dizer um dia que nao tenha alguma emoçao. Sabe passeio de bugue nas dunas do nordeste brasileiro, quando o motorista, com cara de sàdico, pergunta na crista da duna: com ou sem emoçao? Poisé, aqui nao tem a opçao “sem”. A começar pelo dia do nosso casamento, por exemplo, que teve tanta coisa memoràvel, mas eu juro de pé junto que eu nunca tinha sonhado em me casar com um italiano,  muito menos em vir morar num outro paìs, entao foi tudo surpresa, emoçao, mas nao foi realizaçao. Jà com a neve eu sonho hà anos!!… Ai!.. Meu coraçao jà começou a acelerar sò de lembrar.

Pra eu me sentir verdadeiramente realizada com algum sonho nao é coisa fàcil, sabe? Sou uma virginiana tipica, critica, xexelenta, manipuladora, exigente, cheia de nuances, detalhezinhos e particulares bem dificeis de atingir, o que me faz quase sempre me frustrar com alguma coisa, portanto quando eu classifico um dia como “dia de sonho” acho que dà pra voce imaginar o quao perfeito deva ter sido. E foi.

Do momento em que acordamos e vimos um céu milagrosamente azul, depois de dias de MUITA chuva, o que nos possibilitaria subir a estrada para a montanha do vulcao Etna, a minha intuiçao jà me dizia: ah LuLu, hoje voce vai ver neve!

Dia lindo, entao decidimos pegar a estrada. Vesti tantas camadas de roupas quanto um esquimò, acho. Sò de meias foram quatro: uma meia calça de lã normal, uma meia calça de lã grossa, uma meia calça especial para inverno rigoroso que minha mae mandou do Brasil e por cima de tudo um meião de la até o joelho. Teve ainda o Jeans e o coturno, e na parte de cima mais umas tres camadas além de um pulover e pra finalizar um casaco especial para o inverno. Na cabeça um gorro de lã que cobria as orelhas, por cima um outro impermeavel e tinha também o capuz do casaco. Ah!.. E de acessorios foram também duas luvas, uma normal de lan por baixo, uma especial pra neve por cima e dois cachecòis. Pronto.

Na estrada, de fora do carro se percebia o vento frio. O céu, que da janela de casa parecia todo limpo, começou a formar umas nuvens pretas e a embaçar com a neblina, à medida que subìamos a montanha. O marido Ernesto tinha imaginado jà que nao daria pra atingir o pézinho do vulcao bem no alto, entao a idéia era subir o màximo que desse,  e assim fomos. A uma certa altura, com o mal tempo, a fila de carros que ia à nossa frente começou a fazer o retorno e nòs, sem nos dizermos nada, nos olhamos e decidimos continuar mais um pouco. Iamos a uns 40km por hora de tanta neblina e, aquela altura, quase jà nao dava pra ver mais nada. Dos dois lados do caminho tinha vestigios de neve do dia anterior, mas nao nevava. Chegamos até onde a policia fazia uma barreira, porque seria perigoso prosseguir, e alì mesmo estacionamos.

Eramos os unicos. Até entao, com a visibilidade baixa, todos estavam voltando. O que fazer? Iriamos descer do carro, ver a neve em volta da estrada, fazer fotos e ir embora…? Nao podia ser!  Ficamos uns minutos parados, com a respiraçao curta, olhando a paisagem em volta. Nao dissemos nada, nem nos movemos, sem saber o que fazer. Eu nao sei explicar o porque, mas sentia que nao tinha acabado alì, e…  entao… caiu… o primeiro floco de neve.

O resto?… O resto é història.

Neve

To chorando agora, como chorei no dia.

Read Full Post »

Subjetiva

Compreender que há outros pontos de vista é o início da sabedoria.

– Thomas Campbell –

Read Full Post »

Older Posts »